Em 1937, então na Noruega, Trotsky foi intimado a sair do país, porém todos países a que pedia asilo político lhe fechavam as portas . Por influencia de Diego Rivera, seu admirador, junto ao governo mexicano, o México aceitou recebê-lo, e Trotsky e sua esposa Natalia Sedova foram para lá.

Ao chegarem no Mexico, Trotsky e Natalia foram morar na própria casa do casal Diego Rivera e Frida Kahlo, a famosa Casa Azul. Depois de ficar sabendo que Trotsky e Frida tiveram um caso, Diego ficou puto da cara, rompeu a amizade e Trotsky teve que buscar nova residência.

Assim, Trotsky e Natalia se estabeleceram na casa onde hoje é o museu, no mesmo bairro de Cayoacan onde fica a Casa Azul, apenas há algumas quadras desta. Alvo de constantes tentativas de atentados, a casa contava com uma grande equipe de segurança (ao menos 10 sempre a postos), em prédios adjacentes a casa principal.

Trotsky acabou assassinado dentro da própria casa, por um agente stalinista, Ramon Mercader, que se infiltrou em seu restrito grupo de amigos, inclusive namorando com uma de suas melhores amigas. Mercader pediu a Trotsky para analisar um artigo que havia escrito, os dois foram ao escritório onde Trotsky trabalhava, onde o golpeou na cabeça com uma picareta. Trotsky ainda resistiu até o dia seguinte, quando morreu.

Milhares de mexicanos compareceram ao seu enterro. As cinzas de Trotsky e Natalia Sedova estão enterradass em um memorial no pátio da casa, em volta de onde ele criava coelhos e cultiva cactos.

05/10/2018

Deixe uma resposta